segunda-feira, maio 26, 2008

Spineless

Traduzido à letra quer dizer sem coluna vertebral. É como me sinto hoje. Desmotivada e pusilânime.
Como Atlas, incapaz de sustentar o peso que carrego nos ombros e, por isso, fito o chão em vez de olhar para o horizonte.
Quero andar com a minha vida para a frente mas existem nós por dar e assuntos pendentes que ao não serem resolvidos impedem-me de prosseguir.
Uma vontade imensa de fugir a estas questões e a tudo o resto assola-me nestas horas de solidão e isolamento.
Penso, repenso e volto a pensar. Analiso as melhores resoluções. As que irão trazer menos sofrimento quer a mim quer aos outros mas não consigo. Nem sei qual o meu propósito… Se devo projectar para melhorias a curto, médio ou longo prazo.
Estou tão cansada. Mas tão cansada.
Perdi o interesse em tudo e começa a ser também aplicável a todos.
Tal como este texto, estou uma bela merda...

6 comentários:

Marta disse...

Sei como isso é...
Descansa, passeia sozinha, faz qualquer coisa que te agrade verdadeiramente...
Depois, conseguirás resolver e atar todos esses nós...
As decisões são sempre dificeis de tomar...
Obrigada pela visita, por não te esqueceres...
Beijos e abraços
Marta

BC disse...

"Nunca se deve dar ouvidos às flores.
Deve-se é olhar para elas e cheirá-las.A minha perfuma-me o planeta todo, mas eu não era capaz de dar valor a isso"....
:)

Raul Martins disse...

Vim, fiquei apreensivo, talvez porque ainda não te conheça bem. Por isso me calo. Não te esqueças que na vida nada é tão importante que nos possa fazer infelizes.
Que encontres as respostas que precisas. Não te esqueças que és uma renard.
Já agora, os meus parabéns pelo dia 22, só hoje descobri. Eu também faço neste mês.
Carpe diem!

RENARD disse...

Marta e BC:

Obrigada pela força. É sempre bom saber que nos percebem e que, ao contrário do que sentimos, não estamos sozinhos...

Raul:

Peço-lhe que por favor não se cale. Sempre pensei que os amigos, os bons amigos, são os que nos dizem o que pensam seja ou não do nosso agrado. Esteja à vontade.


Beijinhos, abraços e sorriso

Fátima André disse...

Cara renard,

Permita-me dois ou três apontamentos um pouco mais racionais que emotivos.
Primeiro: entendo que os verdadeiros amigos são aqueles que têm a coragem de nos deitar ao chão do cavalo do nosso egocentrismo e dar-nos umas boas bofetadas para despertar para a vida. A caridade, a piedade nem sempre nos ajuda a crescer como pessoas. Torna-nos dependentes, infantis e desnorteados.
Segundo: não procure a soluções onde elas não existem. Os seus amigos virtuais ou não, podem enviar-lhe palavras de ânimo (o que é extraordinariamente belo), mas elas não são a chave dos seus problemas. A renard é a chave dos problemas. Procure lá bem no fundo, e encontrará escondidas algumas pistas: perseverança, coragem, guerreiro da luz, vida, sonhos, vontade de vencer, felicidade...

Pela sua saudinha, não desista!
Acredite em si!

Desejo-lhe todo o bem do Mundo.
O meu sorriso :)

Não leve a mal a minha sinceridade (segui o conselho que deu ao Raul), mas vista-se como um GUERREIRO DA LUZ!

"O guerreiro sabe que é livre para escolher o que desejar; as suas decisões são tomadas com coragem, desprendimento...
Mas jamais perde de vista as coisas duradouras, e os laços criados com solidez através do tempo". Paulo Coelho

RENARD disse...

Querida Fátima:

Leio e acato aquilo que me escreve com todo o respeito.
Sorte foi no dia seguinte ao ter escrito o texto ter "pegado" no que restava da minha coluna vertbral e confrontar algumas situações que já me carregavam os ombros há já uns meses. E que bem que soube!
Tem toda a razão sobre o tipo de amigos que devemos ser e ter à nossa volta. Por ser extraordinariamente frontal, perco muitos "amigos" quando me é pedida a minha opinião e esta não está em conformidade com aquilo que desejariam ouvir. Sei que mais tarde entenderão que é esse o caminho a seguir e não o rodearmo-nos de "sim sr's" que concordam connosco mesmo quando pensam que vamos cometer o maior erro da nossa vida.
Enfim, mas nesta diversidade de pessoas, cores, culturas, religiões e padrões de pensamento, há que saber nos adequarmos ao que nos rodeia, sem nunca nos trairmos, ao invés de dizer que todos os outros estão errados. Certo?

Um grande beijinho e sinta-se à vontade de me mandar abaixo do cavalo e dar-me bofetadas quando quiser. (O que vale é que por serem virtuais não magoam fisicamente. Por outro lado, as palavras ferem mais que a espada...Hum, situação engraçada esta...) Enfim, estamos na era da tecnologia!!! LOL