domingo, junho 22, 2008

Gangrena




Um dos meus membros apodrece…
Todos dizem que ao mantê-lo, acabará por me matar…
Provoca-me tantas dores, mas é o meu membro!
Pergunto se não tem salvação…
Em uníssono respondem:
Ou cortas ou morres!
Como um coro numa tragédia grega,
As vozes ressoam na minha cabeça avisando-me do mal que está para vir…

Preparo o torniquete, o bisturi, a serra, a agulha e o fio…
Disponho tudo sobre a mesa…
Olho para os instrumentos esterilizados que reluzem…
Penso em como me habituei a este membro…
Como é parte de mim e não o quero perder…

Mas o que em tempos me tornou mais forte,
Me dava equilíbrio e
Me completava
Tornou-se agora preto
Nauseabundo e tão,
Tão doloroso de se ver

Olho novamente para os instrumentos…
Inspiro fundo e suspiro...
Agarro o torniquete
Coloco-o em posição acima da carne putrefacta
Aperto…
Dói e liberto um berro
As lágrimas caem-me pela face abaixo
Agarro no bisturi e dou um golpe em torno do membro
Urro com dores e choro soluçando

Desmaio….

6 comentários:

Marta disse...

Como na vida...Há situações que exigem um corte radical...
Fica a dor, a saudade, mas...temos que continuar a andar...
Obrigada pelo chá e thumbs up....
Até já
Beijos e abraços
Marta

Fátima André disse...

Bem dita a hora que teus olhos se abriram e viram a verdade. Embora a rejeites porque te dói, é preciso aceitá-la. Fico feliz pela tua decisão minha querida. Sobretudo pela tua coragem. Não tenhas medo. Quando acordares desse sono profundo eu tenho-te ao colo para limpar as tuas lágrimas. Não serei a única.
O meu afectuoso abraço ;)

BC disse...

Cheguei aqui e parece-me que com este texto renard, estás a cortar com algo do passado,
Será que estou enganada...bisturi..
cirurgia...
Por vezes é preciso e depois começarmos de novo.
E QUANDO OLHAMOS PARA TRÁS PERCEBEMOS QUE PERDEMOS MUITO TEMPO
Beijocas, eu estou no mesmo lugar
ok!!!
Beijocas e saudações tribais

RENARD disse...

Marta:

Eu sei bem a que te referes mas está a doer tanto que às vezes até me falta o ar!

Obrigada pela companhia e beijos

Fátima:

Eu sei que cada vez que tentar dar o salto para tentar voar e começar a cair a pique, estarás lá, entre outros para me amparar a queda...

Abraço


BC:

Não se trata de libertar algo do passado mas afastar algo do presente. Cortarmos com o passado é complicado, mas fazê-lo com algo no presente é um decisão que me faz cair por terra! Completamente. A cada nova etapa da "amputação", vacilam-me as pernas. Não sei se conseguirei levar até ao fim... We'll see, my dear..

Sorriso tribal só para ti :)

Jade disse...

Ao longo da vida temos sempre que fazer uma ou outra incisão radical...não faz mal!!-Isso,só nos ajuda!!
:)
Um beijão

~pi disse...

beijo

[ de luz e cura






~