segunda-feira, outubro 20, 2008

Hei-de lá chegar…

Ao entendimento que um dia pensei ter conseguido. Sentia-me bem por pensar-me diferente daquilo que fui em tempos. Não cair nas mesmas armadilhas e enjeitar dar ouvidos aquelas vozes que nos levam às escolhas que nos magoam e, consequentemente, os outros.

Precipito-me. Defeito que já me trouxe tantos dissabores… Por vezes, recuso-me a ouvir a razão e deixo-me levar pelos conselhos e racionalizações dos demais pensando-me incapaz de decidir sozinha. Erro duma forma ou de outra. Seja por decisão minha ou levada pela opinião dos que amo, falho redondamente.

Dizem que sou jovem. Que me faltam muitos anos para aprender a viver… A idade não se mede em anos mas na intensidade com que se vive aqueles que já por nós passaram. Além disso, não sei se me resta muito tempo para descobrir ou não. Ninguém sabe a própria data de expiração. Mesmo os moribundos não têm hora marcada. A alguns resta esperar que o dia chegue na esperança que, numa possível segunda hipótese, a fortuna seja mais favorável.Outros vivem alheios desta nossa certeza que somos um grão numa imensa tempestade de areia.

Poucos entendem ao que me refiro quando me auto intitulo de “alma velha”. Também não será aqui que passarei a explicar a importância desta minha definição.Apenas sei que o sou e que estou cansada. De viver, viver, viver e sentir que desaprendo a cada dia que passa. Mudam as premissas constantemente e falta-me a capacidade e vontade de continuar a batalhar contra uma corrente que parece arrastar todos à minha volta comigo. Uma onda que me varre sem aviso levando comigo aqueles que amo.

Sou imatura, ingénua e, até, ignorante em tanta coisa. Mas noutros aspectos sei demasiado para algum dia conseguir viver em paz comigo. A única triste conclusão que consegui tirar de praticamente três décadas a remar contra a maré…

Resiliência? Nenhuma. Vontade de continuar? Não por mim. Curiosidade? Só se for para ver quanto mais posso aguentar sem perder a cabeça.

Hei-de lá chegar…

6 comentários:

BlueVelvet disse...

As pessoas inquietas e inteligentes, nunca acham que sabem tudo nem que lá chegaram.
Tão pouco conseguem atingir a felicidade dos que não se interrogam.
Mas isso não é motivo para não continuar.
Muito menos é razão para desistir.
E por ti. Não pelos outros.
E o Grito aqui não ajuda.
Come on babe, cheer up

http://www.youtube.com/watch?v=sCVLaS17Sik Vai ver e sorri

Kisses and hugs

Maria Clarinda disse...

(...)Poucos entendem ao que me refiro quando me auto intitulo de “alma velha”. Também não será aqui que passarei a explicar a importância desta minha definição.Apenas sei que o sou e que estou cansada. De viver, viver, viver e sentir que desaprendo a cada dia que passa(...)
Mais um sentir das tuas palavras.
Jinhos

ematejoca disse...

Le petit prince

Lieber kleinen Fuchs!

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante."

"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."

Antoine de Saint-Exupery

Ich vermisse Dich!

f@ disse...

Chegarás mais depressa do que pensas...
beijinhos grandes e apressados e abraço das nuvens

BC disse...

Puis il se dit encore:" Je me suis riche d´une fleur unique, et je ne possède qu´une rose ordinaire.Ça et mes trois vulcans qui m´arrivent au genou, et dont l´un, peu-être, est éteint pour toujours, ça ne fait pas de moi un bien grand prince...."Et, couché dans l´herbre, il pleurá.
Un bissu

Marta disse...

Também faço essas perguntas...
A conclusão a que chego é que se desistir, os outros vencem e sinceramente, eu estou cá para viver a minha vida como acho que a devo viver....Posso não encontrar tudo o que quero, mas tenho a consciência tranquila de que o estou a tentar...
Até já
Beijos e abraços
Marta