segunda-feira, maio 19, 2008

Saudade

Estes dias que estive fora senti a falta de muitas coisas… Acho que todos somos assim… A determinada altura ansiamos pelas nossas comodidades e rituais.
Mas tenho uma boa capacidade de adaptação e o que carecia, substituía com algo que em casa, por norma, não tenho.
Mas a privação da presença de determinadas pessoas jamais foi substituída pela presença de outros. Adorei a companhia nos 5 dias mas necessitava da voz e calor da minha mãe.
Ao afastamento de uma pessoa em particular pensei já me ter habituado. Os silêncios prolongados começam a surtir o seu efeito com o tempo, não é? Pois não. Infelizmente, não é. Continuo numa luta desmedida contra as saudades que tenho de conversar e trocar ideias com alguém que me é muito especial.
Que grande maldade é nos baixarem as defesas e depois não estarem connosco para nos proteger dos ataques…
Bem sei que tenho mais do que idade de lutar as minhas próprias batalhas e ganhar as minhas guerras mas, caramba, sem a fortuna do meu lado, sem a muralha e fosso, sem sequer uma leve armadura, pouco faltará para ser ferida de morte!
Dizia há dias a um amigo que o maior erro é viver a vida duma forma iconográfica. Sempre tive em mim essa tendência. Conhecia alguém que considerava ser sobre-humano e lá punha eu o dito ser num pedestal lá no alto. Pois a velha regra da física de que tudo o que sobe, tem de descer prova-se porque quanto maior é a minha consideração pela pessoa maior é desilusão, improrrogável, que se segue.
Estas situações aconteceram muito durante a minha infância e adolescência mas tantas vezes vai o cântaro à fonte que um dia lá se quebra e depois de inúmeras “cabeçadas” lá criei as minhas defesas.
Passaram-se anos e nada de ícones. E que bem que me sabia não ter de lidar com desilusões e sensações de sentimentos empregues em quem não os merece.
Partiram-me a pedra e deixaram-me a sofrer de saudade…

7 comentários:

Fátima André disse...

Olá, renard

Fiz um comentário no sítio do ruca, mas agora percebo que embora em sintonia consigo em alguns aspectos, falamos de coisas diferentes.
Quero-lhe manifestar a minha solidariedade no momento que vive. Todos temos dias cinzentos... mas, a seguir a eles vem um lindo arco-íris que iluminará a sua vida. Não desista de acreditar que é capaz de pintar a sua vida com cores mais bonitas.
A prova disso é que acredita na história do principezinho com todas as suas energias. É isso que a prende à vida. Foi isso que a levou nestes dias a procurar os seus amigos...
Vai ficar tudo bem. Acredite mais em si. Precisa de alguém que a ajude a trabalhar a auto-estima. Mas comece por acreditar na capacidade interior que a habita de dizer não ao sofrimento. É uma tarefa difícil, mas possível. Depende da sua VONTADE DE VENCER!
Eu tenho um amigo padre que um dia me disse num momento de muita dificuldade e provação:
"Acredita em Deus, mas trabalha como se tudo dependesse de ti".
Estas palavra ficaram gravadas no meu coração e são hoje um alimento em muitas circunstâncias da minha vida.
Desculpe mais uma vez intrometer-me, mas, se puder ajudar em alguma coisa, disponha. Vou tentar fazer-lhe chegar uma mensagem de reflexão. Não é chave de nenhum problema, mas pode ajudar alguma coisinha.
Cumprimentos.

Fátima André disse...

Lembrei-me ainda. Acho que a história "As três peneiras" fala muito do que penso sobre os julgamentos precipitados, os juízos de valor...
É um velhinho conto de António Botto, mas penso que tem muita actualidade.
Se quiser ler, está aqui:

http://revisitaraeducacao.blogspot.com/2008/05/inquietaes-pedaggicas_18.html

Tudo de BOM!

BC disse...

Boa tarde Renard!
Desculpa hoje não te poder dar muita atenção, mas a minha vida está complicada.
Tenho a Mariana em casa cheia de febre,e á tarde tenho um compromisso a que não posso faltar.
Ainda por cima o Diogo amanhã é operado.
Há noite venho deixar os comentários com calma se conseguir
Só vim dizer-te para passares pelo meu blog.Vê se gostas
Beijinhos e muitos sorrisos, hoje com um dia de chuva,o arco-íris está escondido.

Marta disse...

Olá, renard...
As saudades estão sempre presentes; só que a vida mostra-nos outros caminhos, outros desafios, preenche-nos outros espaços...
Amanhã é realmente outro dia...goze bem os dias...
Até já
Beijos e abraços
Marta

Marta disse...

Só para deixar um beijinho neste dia especial....
Até já...
Beijos e abraços
Marta

BC disse...

..."Mas necessitava do calor e da voz da minha mãe"...
Essencial em qualquer idade, não tenhas dúvidas.
A mãe terá sempre um papel fundamental na vida de um filho, eu sei bem o que isso é.
Acredita que é o maior amor que alguém terá ao cimo da terra,não pede nada em troca, é incondicional,é verdadeiro!!!
Um :) para ti
Aproveita a vida da melhor forma e serás feliz...

BC disse...

Renard!
Que é feito de ti, as escritas pararam.
Estás bem?
Beijinhos e:)S