quinta-feira, junho 05, 2008

A Tribo

Quem diria que volvidos quase 20 anos da minha partida de África para cá, faria parte duma tribo?!
Para os membros da mesma onde me insiro, vou explicar o porquê de ter apelidado (peço por empréstimo a expressão da BC) “a nossa teia de afectos” de tribo.
Do que me lembro das tradições tribais que li em tempos, todas parecem encaixar que nem uma luva neste conjunto de pessoas heterogenias, mas iguais, que somos.
Nas tribos a antiguidade é um posto! Os mais velhos são vistos pela sua sapiência e aquilo que transmitem é respeitado já que eles têm a experiência da vida a pesar-lhes nas palavras.
Nas tribos as crianças são tratadas como tal. Devem ser respeitadas e ouvidas pois têm o conhecimento mais puro que existe: a inocência. Têm o direito de serem crianças sem pressa de crescerem. De brincarem. De chorarem. De caírem… Sabendo de antemão que cá estaremos para lhes limpar as feridas, secar as lágrimas e dar colo.
Nas tribos todos os membros são ouvidos e as opiniões de todos são tidas em conta porque não existe certo ou errado. Existem modos de pensar. Então, poder-se-á gerar uma discussão saudável sobre um qualquer assunto e não chegando a consenso, respeitosamente, concorda-se em discordar.
Nas tribos, o conjunto trabalha sempre para o todo e nunca para o indivíduo. Não existe espaço para egoísmo ou narcisismo. Se um membro não se encontra bem, todos se esforçam para dar o seu contributo para o ajudarem a ultrapassar a má fase ou obstáculo.
Nas tribos a solidariedade é uma exigência. Não só de membro para membro, mas com todas as outras tribos que nos circundam.
Nas tribos a natureza e os animais são equiparados a nós e nunca inferiores.
As tribos quem vier por bem, é sempre bem-vindo e a ausência dum membro é logo notada. Cabe aos membros indagarem sobre o bem-estar do ausente e apaziguar a preocupação da restante tribo.
Nas tribos é-se chamado à atenção sobre questões preocupantes e urgentes da sociedade e mundo para que, em gerações futuras, não se cometam os mesmos erros do passado.
Nas tribos, o conhecimento e a palavra são as armas mais poderosas contra todos os males.

Este post é dedicado à BC, á Avó Pirueta, ao Raul, à Marta, à Fátima, à Jade, ao Besbertocharrua e ao Só Eu. Espero não me ter esquecido de ninguém, mas acho que não.

A todos vós um muito obrigada por lerem o que escrevo, pelas palavras ternas que me deixam. Tornam os meus dias um pouco menos dolorosos.

SAUDAÇÕES TRIBAIS

7 comentários:

Fátima André disse...

Querida Renard,
Que belo presente me destes logo pela manhã. Olha apetece-me tratrar-te por tu, porque da tribo a que perteces eu sou batante mais "antiga" (só em idade) e quase podia ser tua mãe. Por isso, hoje vou agarrar-te ao colo e dizer-te que gostei muito do nominativo que encontraste para o nosso grupo, a nossa TRIBO. Não precisavas explicar porque eu desde o início percebi a expressão e a pureza do sentimento que a envolveu. Coisas que só se vêm bem com o coração. Vejo que te sentes bem no grupo e isso deixa-me muito Feliz. Só não conheço todos os membros da tribo, mas com o tempo vai lá...
Desejo-te um óptimo dia. Cheio de sorrisos.
Vou sair por uns dias. Mas se Deus quiser e a Internet deixar, continuarei a vir aqui visitar-te e deixar os meus sorrisos.
Saudações tribais :):):)

BC disse...

Olá,bom dia amiga!
Não costumo deixar comentários muito cedo porque a minha tribo cá de casa não o permite.
Mas hoje de manhã vou ter alguns
trabalhos para fazer para o meu papá e tive que voar até aqui mais cedo, de contrário só logo à noite.

ADOREI A TUA EXPLICAÇÃO DE TRIBO
RENARD,ESTÁ FABULOSA, É ISSO MESMO.
TROCAMOS PALAVRAS HÁ JÁ BASTANTES MESES, PENSO QUE DESDE O PRINCÍPIO
E HOJE, QUERO AGRADECER-TE A MANEIRA IMPECÁVEL COM QUE SEMPRE FUI TRATADA POR TI, E NÃO VOU DIZER MAIS NADA.
SABES QUE PODES SEMPRE CONTAR COMIGO COMO NO INICÍO, AINDA NÃO EXISTIA "TRIBO"ERA UMA PEQUENA CIDADE QUE FOI CRESCENDO COM OS AMIGOS.

Apareci aqui neste mundo virtual,
"simplesmente" e apenas para deixar
e espalhar os meus "Sorrisos",se consegui fico feliz se não consegui
paciência, mas tentei.
Para ti hoje, os meus sorrisos de sempre :) :) :)s
Para ti sempre BC

Marta disse...

E já sabes que a porta está sempre aberta e tens o teu lugar à mesa....
Um beijo enorme e até já
Marta

Maria do Carmo Cruz disse...

Caté quinfim! Renard, tenho a certeza de que és capaz de decifrar a expressão! Até que enfim te encontrei o ninho! Até que enfim confirmei que eras a interlocutora do Princepezinho, até que enfim que posso visitar-te na tua casa.
Este texto da tribo está excelente e é mesmo assim. Felizmente, ainda é mesmo assim, em muitas comunidades em que trabalho. Não sei se isto tem a ver com o facto de o Raul do Sorriso imenso e o meu Ccz andarem há uns tempos para cá a falarem em "saudações tribais", mas deve ter, porque daqueles dois só sai coisa com cabeça, tronco e membros.
Estou numa grande excitação porque daqui a pouco vou ser vista pelo médico que me operou e estou ansiosa por saber o que me vai prescrever a seguir. Espero o melhor: poder deslocar-me, poder trabalhar, ainda que com cuidado. Tenho que me lembrar muitas vezes de que não tenho 20 anos mas é tão difícil lembrar e tão fácil esquecer...
Renard, não deixes que o seu olhar se turve, não deixes que o teu sorriso esmoreça, tu fazes parte da Tribo e estamos cá para te alimentar a alma. Combinado? Agora, és minha! Já não podes fugir! Cativaste-me! Um beijo da Avó Pirueta

Raul Martins disse...

Só hoje descobri este poste.
Olhas para a "tribo" com o mais maravilhoso dos corações. Obrigado pelo gesto de me colocares aqui.
E viste de África para cá há vinte anos? De que toca?
E no próximo ano lectivo, no início do ano, vai ser com este teu poste sobre o significado de tribo que vou organizar a minha cordenação de turma. Cada turna vai ser uma tribo. Com o seu nome. Percebes? E vou incutir-lhes este espírito de tribo.
.
Carpe diem!

Raul Martins disse...

Ai os erros!
Vieste...
e coordenação...

pois claro!
Carpe diem!
Saudações tribais!

RENARD disse...

Querido Raul:

Vim da África do Sul em 1989. Faz portanto 19 anos.
Nunca lá voltei mas a dor de regressar já vive comigo há algunas anos...
Completamente "babada", acho a ideia de usar o meu post como coordenação de turma uma óptima ideia! Pode ser que entendam desta forma simplista os valores que se vão extinguido na nossa sociedade de hoje.
Claro que o colocaria aqui. Lê os meus textos e, ainda por cima, tece críticas quando acha que algo não está em conformidade! Perfeito!
Sem discussão o mundo não evolui. Tese - Antítese - Síntese, n'est pas?

Uma valente beijoca tribal