quinta-feira, julho 10, 2008

I’ve had the time of my life – Ao meu gigante

Como retribuição ao gesto que tiveste para comigo, cá estou eu a homenagear-te a ti, meu lindo, e à nossa relação ainda recém-nascida…
É a forma mais íntima e minha que tenho para demonstrar o carinho que sinto por ti.
És especial para mim e já seria incapaz de pensar a minha vida sem a tua presença.
Tens feito o que prometeste e restituíste alguma da minha fé na bondade das pessoas. Na pureza de sentimentos e no altruísmo puro.
Sempre me achei capaz de dar tudo a todos mas tu, meu gigante, ensinaste-me uma lição preciosa. Agracias os que te rodeiam com a tua boa disposição mesmo que não seja esse o teu estado emocional interior. Pões o bem-estar de todos acima do teu e, por isso, admiro-te.
És o meu porto seguro.
Se ao andar tropeçar, sei que o teu braço forte me vai apanhar antes da queda; e se na tua ausência cair desamparada e me apetecer chorar, sei que o teu ombro estará lá para apoiar a minha cabeça; os teus dedos limparão as lágrimas e sem uma palavra, agarrar-me-ás contra o teu peito e balançar-me-ás como se faz a uma criança que soluça…
És um pilar de força que se torna intransponível e indestrutível quando te comprometes a proteger alguém. Por sorte, esse alguém sou eu agora.
És o meu gigante. O meu colosso. A minha força.
Tornas a semana apenas um empecilho entre os fins-de-semana em que sei que vais estar comigo a massajar-me as costas doridas e a ouvir os meus queixumes. Ou vais acompanhar-me para uma noite de copos em que sei que se exagerar tenho-te a ti, meu gigante meigo e lindo, para me carregar para casa a soltar gargalhadas com as palavras arrastadas que te vou dizendo.
És o meu devorador de gomas e companheiro de filmes de sofá. Aqueles que te deixo ver, quando não me dá um ataque de verborreia e o filme passa sem darmos conta.
Bem sabes que o tema do meu blog é o Principezinho. Como tal tenho a dizer-te que o “Apprivoiser” está concluído. Os laços estão criados e estes, meu doce gigante, duma forma ou de outra, são para a vida.
Sabe que também eu sou uma gigante. Também te ampararei se tropeçares, limparei as tuas lágrimas e te balançarei até o choro cessar.
Os James e o Rufus serão sempre nossos. Isso nada nos tira…

I’ve had the time of my life
No I’ve never felt this way before
Yes I swear it’s the truth
And own it all to you…

4 comentários:

ematejoca disse...

Querida Renard:
Como também gosta do José Régio tem de me vir visitar ao Norte, e eu levo-a à casa dele, agora um pequeno museu, em Vila do Conde.
Está combinado?

Marta disse...

É isso, Renard....
Agarrar os momentos....
Gostei...
Se fores a Vila do Conde, não te esqueças de me visitar...
Beijos e abraços
Marta

Maria do Carmo Cruz disse...

O que eu quero é agradecer a Deus, nem que seja só ao "meu" Deus, que tenhas um bom Gigante a velar por ti. Só por isso, este gigante terá um lugar nos meus pensamentos positivos. E eles ´~ao-de ter energia suficiente para vos ajudar a ajudarem-se um ao outro. Viver é isso: dar, dar-se, receber, receber-se. Seja por quanto tempo for, I'm happy if you are happy. Kiss you, Ouma

ematejoca disse...

Bom dia Renard:
O meu apartamento fica entre o Porto e Vila do Conde. Quero dizer, que se gosta de visitar museus, temos de ir a Serralves e ao Museu Soares dos Reis.
Ainda nao sei é quando posso ir a Portugal, mas penso que seja em breve.

Tenho um poema de Louis Aragon num dos meus blogues. Espero que também goste.

Saudacoes de uma outra "gémea"!