quinta-feira, outubro 02, 2008

Cometa

Para mim este fenómeno astronómico tem um significado diferente e único. É um dos nomes que uso para definir um dos meus amigos mais próximos por achar que, também ele, é um prodígio de rara beleza e único na forma como fica burilado na existência daqueles que têm a honra de se cruzar com ele. Tal como os cometas, por muito tempo que possamos vê-los e admirar a nossa boa fortuna de termos vislumbrado um durante a nossa vida, deixam-nos saudosos e com a sensação que deviam ser eternos.

Que se leia com clareza e sem artifícios literários que me refiro ao autor do texto publicado abaixo: João Lázaro.
Tenho a sorte de ter acesso a estes textos magníficos e, melhor que isso, sou Amiga da pessoa que tece estas palavras mágicas cheias de significado.
Embora exista uma diferença expressiva de idades entre nós, o nosso entendimento é perfeito. Não se pense que se deve a uma maturidade extrema da minha parte. Nada disso. Este entrosamento de personalidades e maneiras de ser/pensar deve-se a um conhecimento profundo e único que o João tem das pessoas independentemente da sua idade, sexo, credo ou classe.
Foi ele que me ensinou o valor de ser humano. Só se nos virmos todos como totalmente humanos e frágeis, somos todos iguais. Mesmo que muitos o queiram negar ou esconder, não há como dar a volta a um facto tão óbvio mas, tantas vezes, esquecido e desprezado.Antes de o ter conhecido tinha vergonha da minha humanidade. De todos os defeitos e, algumas qualidades, que vêm agregadas a esta herança. Agora aceito e, finalmente, já não me vejo como um pária ou alguém que não tem lugar onde quer que esteja. Só assim posso melhorar-me constantemente… Acima de tudo, foi ele que me ajudou a encontrar o meu lugar e isso será uma dívida que terei para com ele até morrer.
Se tivesse de definir o João Lázaro numa palavra diria, sem hesitação, resiliência. Capacidade indelével de poucos e admiráveis seres.

Cada nova conversa traz um novo nível de aprendizagem de factos que ignorava e que me põe a pensar sobre as coisas com perspectivas cada vez mais centrífugas. Amadureci e tornei-me melhor pessoa e tenho a agradecer a um cometa que, espero, manter na minha vida durante uma eternidade tão fugaz e rápida que nos define como humanos.

João: levanto o copo num brinde ao nosso primeiro aniversário de conhecimento. Ainda faltam 40. Tem paciência comigo, sabes que demoro o meu tempo a aprender. Pode ser que daqui a uns 39 anos possas dizer: finalmente entendeu! Mas não desesperes, o Papa pode ser complicado mas um Cardeal…

4 comentários:

BlueVelvet disse...

É bem verdade, há pessoas que passam pela nossa vida como um cometa, mas deixam sempre o seu rasto de luz connosco.
Mas tu também me parece que és um pouco assim.
Excelente texto Renard.
Muitos beijinhos e até já, já

1/4 de Fada disse...

Belíssima homenagem, e que eu compreendo muito bem, acho que sabes disso, não é?

ematejoca disse...

O teu texto é na verdade excelente.
Sou também da opiniao da blue velvet, que tu também és um cometa, que deixas sempre o teu rasto de luz.

Como membro da Tribo de Afectos venho no dia de hoje desejar-te um dia muito feliz junto aos outros membros da Tribo e mandar-te uns
beijinhos tribais muito especiais e desejar-te um bom fim de semana.
:))

Kleine Hexe disse...

Oh miga, adoro este cometa só pelos milagres que tem feito! E viva o jogo de Xadrez, que as vénias essas, estão longe, muito longe de um final...

Beijinhos Violetas =)

Já tou com saudades da tua terriola...hehhehehehe!!!!